domingo, 22 de junho de 2014

Uma passagem de um belo livro




O Ramayana" de Valmiki, Aranya Kanada ou livro da Floresta,conversa entre os príncipes Rama e Bharata:
"O coração, Bharata... atenta para o teu coração, e não o sufoques. Lá vive a alma, clara, nunca manchada, vendo tudo o que fazemos ou tencionamos fazer. Assim, deixa que o homem fique em silêncio e encontre seu coração. Esta é a única salvação segura. (...) A vida é brilhante e colorida por um momento fugaz, como o pôr de sol. Depois, se vai, e quem pode impedi-la de ir-se? Por conseguinte, Bharata, já que estás neste corpo perigoso, deplora tua própria condição. Pranteia o teu eu, e não lamentes mais nada."
Sempre leio essa passagem para lembrar da missão fundamental da nossa vida: resgatar nosso coração humano. Ouvir seus apelos, dar-lhe as rédeas de nossa vida, deixar que ele rastreie e encontre o coração de todas as coisas. Quando o carro de Kala, o tempo, recolher todo o seu séquito de sombras, ficaremos a sós com nosso coração. As únicas coisas reais são as que vemos e ouvimos através dele. Centro luminoso, sol em nós, mistério dos mistérios é o nosso coração. Que saibamos ouvi-lo e servi-lo para que desfrutemos de algo da verdadeira Vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário