quarta-feira, 4 de junho de 2014

Um dia, uma cebola...

Para Liliane Pereira.


Presentes são coisas curiosas; nasceram para relembrar a presença de certas pessoas na nossa vida, ou de algumas ideias que elas quiseram nos recordar através destes simples objetos. São os melhores, estes; quando, além de uma coisa útil ou agradável, trazem também uma ideia, uma expressão de um sentimento delicado, honesto e verdadeiro: uma joia das mais raras da terra.
Coleciono algumas dessas joias: pedrinhas, sementes, caixas de fósforo com raios de sol dentro, pano de prato pintados com cisnes azuis, pétalas de flores e flores inteiras espremidas na folha de um livro. Nenhum ladrão pensaria em roubar minhas joias. Pobres ladrões, que não sabem avaliar coisas que possuem valor, mas só as que possuem preço, e não sabem que as primeiras jamais podem ser roubadas, mas recebidas numa verdadeira cerimônia de celebração de sentimentos fugaz e rara, num portal entre o tempo e aquela estranha dimensão onde o tempo não é capaz de penetrar.
Recebi, estes dias, uma cebola, embrulhada num paninho colorido com uma laço, como uma trouxinha. A pessoa que me deu é destas que amam tanto o que fazem (coisa pouco comum) que transcendem o banal em cada detalhe de seu trabalho.
Foi bela a metáfora das camadas que vamos deixando pelo caminho, mas não em vão, pois vão dando aroma e sabor para a vida de cada um que os recebe, e a surpresa, ao final da vida, como diria o sábio Ramakrishna, de, por trás de tantas camadas folhadas, encontrarmos um núcleo vazio de matéria, pois nenhum ser possui um núcleo verdadeiro que pertença a este mundo...

Estas preciosas descobertas são acrescentadas ao fato de que, quem presenteia, sempre se compromete, pois seus melhores votos se enlaçam definitivamente com o destino do presenteado, não só como desejo, mas como dever de construir este destino junto com ele.  Este presente, mais do que só gratidão, me trouxe inspiração e vontade de também distribuir meu coração aos quatro cantos do mundo, em pequenas joias e dádivas, cuja essência me obrigue a me comprometer ainda mais com a Vida como um todo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário